Arquivo do mês: fevereiro 2012

Cenas de Esquel

Image

Caranga sinistra

 

Image

LOL

 

Image

Sendero Los Guanacos

 

Image

Juli na caça dos guanacos

 

Image

Estrada para La Hoya – Vista de Esquel

 

Image

Estrada para La Hoya


Cenas argentinas

 

Image

Clássicos

 

Image

Ventisqueiro Negro

 

Image

Incêndios, um daqueles que anunciaram no jornal lá por dezembro. 

 

Image

Glaciar Tronador

 

Image

Rio Manso – Cascata Los Alerces

 

Image

Cascata Los Alerces

 


Esquel – Chubut

A chuva nos correu de El Bolsón, choveu toda a noite e tivemos que guardar a barraca empapada, estávamos acampados ao lado do Lago Puelo que é um Parque Nacional mas com aquele tempo resolvemos nem gastar com as entradas para ver mais um lago entre tantos que já passamos.

Caímos fora no início da tarde em direção a Esquel, 180km ao sul e entramos no estado do Chubut. Erramos o caminho e rodamos 35km até Cholila para ter que voltar tudo denovo depois de descobrirmos que a estrada para Esquel, por ali, tinha uns 60km de rípio em mal estado. Mas tudo bem, o caminho estava lindo e praqueles lados a chuva já tinha passado. Chegamos em Esquel no meio da tarde e para nossa surpresa o lugar não é tão faroeste como El Bolsón. Rodeada de montanhas, Esquel tem um certo “charme patagônico” e ao lado o Parque Nacional de Los Alerces que pretendemos conhecer se o tempo ajudar. Novamente ficamos em um camping com toda infra e água quente até nas pias do banheiro o que é comum por aqui já que no inverno isso aqui deve ficar abaixo de metros de gelo. Na rua deve estar fazendo agora a noite uns 10°. Este será o último lugar do lado oeste para conhecer antes de cruzar para o lado Atlântico da Argentina.

Image

Image


Região dos Lagos

Bariloche foi um pouco decepcionante. A natureza ao redor é belíssima mas a cidade ícone do turismo deixou a desejar. Eu imaginava uma coisa totalmente elegante e charmoso mas achei meio tumultuada, preços caros, pratos engana turista e cheiro de nafta queimada em motores velhos. Muito mais bonita era San Martin de Los Andes que era menor. Sendo assim não ficamos muito tempo em Bariloche e depois do circuito teleféricos e miradores seguimos rumo a parte sul do Parque Nahuel Huapi onde fomos conhecer o cerro Tronador e a Cascata dos Alerces. A chuva aqui anda caindo meio seguido mas não prejudicou nossas atividades. O bom disso tudo é que estamos gastando muito pouco com acomodação. As diárias dos campings organizados estão como 30 a 40 pesos. De 15 a 20 reais por pessoa e também não faltam as opções de áreas livres para acampamento sem infraestrutura porém em lugares belíssimos as margens dos lagos. O banho nestes lagos está difícil porque apesar da água ser cristalina, as temperaturas aqui não passam dos 20°.

Estamos um pouco adiantados no roteiro pois acabamos conhecendo tudo o que achamos mais interessante, passamos meio rápido por Villa la Angostura por causa das cinzas e a Ju queria mais uma noite em Bariloche mas eu que não tenho muita paciência para centrinhos cheios de turistas. Aqui em El Bolsón é meio faroeste e pelo visto vamos dar o fora muito em breve. De qualquer forma esses dias adiantados deverão ser recompensados com mais descanso pelas bandas da Península Valdez que será a parte final da viagem mas até lá ainda serão outros 1000km para adelante.


El Bolsón

Estamos em El Bolsón após muitas aventuras, geleiras, cascatas, montanhas e lagos, muitos. E bifes de chorizo. Já percorremos uns 3500km, e hoje é o décimo dia de viagem. Vamos agora descobrir o que há por aqui e no Parque Nacional Lago Puelo.


Garganta del Diablo

Garganta del Diablo

Cerro Tronador


Ventisqueiro Negro

Ventisqueiro Negro

Parque Nacional Nahuel Huapi, Cerro Tronador